Menu páginas
TwitterRssFacebook
Menu Categorias

Publicado por em abr 10, 2016 em Bispo Inaldo Barreto, Blog, Destaque, Notícias, Sem categoria | Ninguém comentou

TENDE BOM ÂNIMO

TENDE BOM ÂNIMO

“Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” (João 16.33).

Fortalecer o coração é uma necessidade de todos nós, é o “mishamerit”, aquilo que se requer daquele que recebeu tal ordenança, faz parte do “estilo de vida”. Temos dois contexto para verificar essa ordenança.

A exortação: ” amats leb”: וְיַאֲמֵץ לִבֶּךָ : “amats leb”, אמץ, ‘âmats, a raiz dessa palavra é: estar alerta, firme na crença, determinado. Como לב “leb” é o lugar dos sentimentos, a tradução é: “um coração firme, determinado, disposto, bem disposto”; aparece em um contexto de aflição, com a diferença que, em Davi os fatos se restrigem às circunstâncias objetivas de guerras, homens maus à espreita, calúnias, falsas testemunhas e os que só rspiram crueldade (Salmos 27.12).

No verso quatorze Davi começa com uma oração, para ele o Senhor é a ” luz e a salvação. Ele faz a guerra espiritual: “não me deixes à vontade dos meus adversários, pois contra mim se levantam falsas testemunahs e os que só respiram crueldade”; depois ele fala da guerra física, tropas em prontidão, homens armados prontos para o ataque: “Ainda que um exército se acampe contra mim, não se atemorizará o meu coração, e se estourar a guerra contra mim, ainda assim terei confiança”. Esse é o contexto onde ele fala para si mesmo sobre a necessidade de “bom ânimo”. O apelo a si mesmo é metafísico, as circunstâncias, os fenômenos do contexto são bem claro, evidentes, objetivos, estão alí: os homens perversos, o exército inimigo e uma guerra quase começando.

O contexto da mensagem de Jesus é semelhante, porém diferente, é mais metafísico, fala da alma, da oração: “Naquele dia, pedireis em meu nome e não vos digo que rogarei ao Pai por vós. Porque o próprio Pai vos ama, visto que me tendes amado e tendes crido que eu vim da parte de Deus” (João 16.26-27).

Jessus fala de uma comunhão extraordinária: “Tudo quanto o Pai tem é meu, por isso é que vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar” Essa e a comunhão do Filho com o Pai e do Pai com a Igreja.

Bem, o contexto onde se encontra o conselho: “Tende bom ânimo” dito por Jesus é semelhante, porém diferente, o contexto de Davi é um contexto com muita ênfase nas coisas, nas guerras, e tudo o que se relaciona a ela; o contexto de Jesus é eminentemente metafísico, isto é sobrenatural, além dessas coisas que vemos, que sentimos, além da materialidade.

Quanto a ter “bom ânimo”, em algumas traduções no Salmos 27,4 fala na KJV que é o Senhor que irá conceder, “Espera no Senhor, tenha uma boa coragem e Ele te fortalecerá”, noutras versões não passa esse entendimento: “Espera em Yahweh, sê firme! Fortalece teu coração e espera em Yahweh!.

Numa tradução é Deus quem concede, noutra é o próprio crente que “corre atrás dela”, que busca a ousadia: “let your heart take courage” (NIV), isto é, deixe o seu coração ter coragem”, podemos imaginar que, podemos tomar o nosso coração para não seguir o caminho do desânimo.

Convehamos, nem Davi nem Cristo Jesus nos concedeu uma oportunidade de “bom ânimo” com facilidade, tanto num contexto como noutro é com dificuldade, com lutas ou aflições como disse Jesus: “no mundo tereis aflições”.

Temos ainda que considerar que, no contexto evangélico o bom ânimo: Jesus também falou no imperativo presente, αλλα θαρσειτε, “Tende bom ânimo”. (João 16.33). Esse é um verbo que merece um pouco mais de atenção, significa: confiança, ânimo, audacidade.

No contexto de Davi, antes da recomendação: “”fortalece o teu coração”, temos uma palavra para: “coragem”, חֲזַק, chazaq, cuja raiz nos dá a ideia das coisas que colocamos em primeiro lugar com toda segurança, manter em cima. Serve para indicar a cura, ajuda e reparação, recuperação, enfim: Ser forte. É uma palavra usada para estimular o combate.

Mas essa determinação pode ser usada para o mal, isso aconteceu quando Davi ordenou e convenceu Joabe a fazer o censo, a palavra de Davi “Chazaq” prevaleceu contra Joabe. O censo não foi uma coisa boa, mas prevaleceu Davi e com isso, errou confiando em número ao invés de simplesmente confiar em Deus.

Bem, depois desses dois contextos, temos mais um que chamamos na Escola de Teologia de “Contextualização”.

Vivemos no Brasil momentos de instabilidade, ameaças comunistas de invadir casas, derramar sangue do próprio brasileiro, o ex-presidente trata todos os outros como “inimigos”, incita a violência, criou a figura do generalíssimo Stédile e até incentivou a queima da bandeira nacional, ele até agora não condenou esse ato, porque concorda é como se queimasse a bandeira do inimigo.

O Juis Ives Gandra Martins fala que, “poderemos chegar à situação da Venezuela onde se perdeu as conquistas sociais, a economia desandou. No Brasil a presidente Dilma perdeu a governabilidade, estamos no fundo do poço, com 13% de desemprego,, por incompetência do governo, a presidente possui 113 mil “amigos do rei” recebendo sem trabalhar. Se não houver o impeachment teremos o mesmo quadro daVenezuela. Ninguém irá investir no Brasil e teremos conflito sociais a começar no campo, onde já se registrou pelo menos uma morte”

Sabemos que, o comunismo não cooptou as Forças Armadas (O Exército Brasileiro) nem o Judiciário, se não fosse isso já estariamos num país comunista a ” la Venuzuela”. Mas quem serviu o exército sabe que, jamais seria admitido uma estrela vermelha na bandeira brasileira.

Bom ânimo em si, por si mesmo não existe. Nenhum livro de auto-ajuda irá ajudar, bom ânimo começa com a paz que temos em Cristo; ela é uma paz contextualizada, é que depende de um contexto, está dentro de um contexto e fora dele é pretexto. Não se alcança a paz tampouco coragem e bom ânimo vivendo longe do corpo, desvinculado do pão e do vinho, do corpo e do sangue de Jesus. Tudo tem início nessa comunhão, por isso Jesus disse, “em mim”. Não se justifica ausência e falta de comunhão pelo ladrão que morreu ao lado de Jesus, um fato extraordinário não confere base doutrinária para a Igreja, nem para as várias seitas coletivas e isoladas em indivíduos solitários.

Nesse contexto temos que ter:”Coragem e bom ânimo”, e sobre tudo paz em Cristo, “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim”, só assim teremos “Bom ânimo”. Sem renunciar ao nosso dever político de combater o mal, de argumentar seriamente contra o comunismo e apoiar a democracia, sem negar os direitos sociais a um povo pobre que ainda somos por conta de governos incompetentes. Temos que manter o bom senso pelo vínculo a Cristo de onde recebemos a Paz.

Publicar uma resposta