Menu páginas
TwitterRssFacebook
Menu Categorias

Publicado por em maio 11, 2015 em 1ª Região - Ribeirão Preto - SP, Bispo Inaldo Barreto, Blog, Notícias | Ninguém comentou

SEGREDOS É PARA OS AMIGOS

SEGREDOS É PARA OS AMIGOS

“…porém eu e minha casa serviremos ao Senhor” (Josué 24.15)

Quando os hebreus pensaram em designar o lugar onde moravam onde a família se reunia e que depois se transforma em o núcleo das futuras transformações e lugar do víinculo da familia, onde também pensam em Yah que se encontra na famosa palavra “aleluyah” que em todas as outras línguas prevalece nessa forma e  que quer dizer “louvar a Deus” ou  “louvado seja Deus”. Pois bem, quando o judeu devoto, (aquele que confessava a fé e a praticava em casa e no Templo) pensava em um lugar assim onde ele tinha intimidade para falar abertamente da sua fé  compartilhando a vida espiritual com sua familia isoladamente e com os outros socialmente, ele pensava em בּית Bayith. (Uma casa, a sua casa e o seu templo, ou o Tabernáculo, depois o Templo de Salomão)

Quando Josué falou dessa maneira era porque havia quem pensasse na forma moderna, “me viro em casa com a minha religião”. Essas palavras se encontram no último capítulo do livro de Josué. Nesse capítulo se esboça e se expande todo um passado de forma resumida. Ele começa lembrando, “E, tirando eu a vosso pai do Egito”. O Egito era sempre lembrado como a ” casa da servidão”. (Dt 5.6).

Quando Jesus vem à terra ele usa a figura da casa, o Bayith como o lugar por excelência para transmitir a sua mensagem. Ali seria revelado os segredos  do Reino dos Céus.

Ele está sempre preferencialmente numa casa para explicar os detalhes. Entre amigos ele sempre revelava os segredos,”Porque a vós outros foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos Céus, mas a eles isso não lhes foi concedido” (Mateus 13.11). Isto é, aos de fora.

Os de dentro estavam ou nas casas com louvor adoração e estudo, ou nos templos fazendo a mesma coisa. Logo fica claro que, o lugar ideal para adorar e estudar a Palavra era em convívio, entre amigos. A Igreja é um lugar de amigos.

Os de dentro estavam fazendo a vontade de Deus, os de fora eram os adversários, os fariseus, os herodianos e outros seguidores de partidos religiosos e político-religioso.

Lá fora a luz era colocada debaixo da cama, eles não entravam nem deixavam o povo entrar, os de dentro ouviam os segredos do Reino dos Céus.

OIKOS  (Οικος)

É uma casa no Novo Testamento, digo “é” porque continua sendo, é agora mesmo o lugar onde se deve estudar a Palavra, entretanto Οικος também inclui a ideia de Templo, pois Ele mesmo disse, “A Minha (Oikos) Casa será chamada, Casa de Oração” (Mateus 21.13). Logo o Templo o lugar separado (consagrado) para a cristã é a Casa do Senhor. Essa Casa é m lugar, pode acreditar; uma casa, pode crer. Uma casa ou um Templo é  um espaço sagrado que muitos não levam em conta porque perderam o sentido do sagrado, já não faz distinção entre o santo e o não santo, entre o sagrado e o profano.

Oikos é o lugar onde os amigos se encontram, o lugar ideal. Quando as pessoas chegam na Igreja sentem alegria, e o diabo sabe como roubar essa alegria, aos poucos vai tirando a pessoa desse caminho, procurando coloca-la entre os modernos fariseus e herodianos e outros que amam criticar a igreja. São esses os adversários de Jesus, o mesmo espírito crítico, os mesmos que adoravam difamá-lo.

Os de fora amavam falar contra Jesus, viviam espreitando para acusá-lo, apontavam ele como revolucinário que queria derrubar o governo e instalar um reino.

Acusavam-no de loucura, de ser um impostor, então Jesus falava dos segredos do Reino dos Céus aos amigos, preferencialmente dentro de uma casa.

O mordomo no Novo Testamento era o oikonomos,οικονόμος; ele podia ser um mordomo fiel, (Η δικαιος οικονόμος ) e justo ensinando e fazendo discípulo de Cristo e não dele mesmo, ou podia por malícia ser um mordomo infiel άδικη οικονόμος, fazendo um discípulo de uma seita, discípulo do legalismo. E para isso se fosse preciso o mordomo infiel rodeava céus e terra para fazer um prosélito. (Mateus 23.15). Evite que sua casa se transforme num lugar assim abarrotada de fardo religioso.

Fazer discípulo é assim uma atividade de alto risco, pois alguém poderá na tentavia fazer um discípulo, terminar fazendo um prosélito de uma seita que procura dominar a mente do estudante da Palavra levando-o a uma escravidão religiosa, e transtormando a sua casa numa casa de “servidão” num egito espiritual onde a personalidade é perdida a favor do legalismo religioso protestante até, reformado até, mas cheio de religiosidade que a seita combate nos outros e se atola  até o pescoço e leva com ela suas vítimas.

Preste muita atenção! Sua vida não pode ser levada pela “comida e pela bebida”, você tem uma alma pode apostar que sim.

E sua alma não vive de churrasco nem de uma cerveja gelada, ela precisa de Deus. Lá fora onde estão os fariseus e os inimigos de Cristo e sua Igreja qualquer homem ou mulher ouvirá tudo aquilo que o diabo quer que se ouça para impedir o desenvolvimento da semente ou para fazer fenecer a semente que foi plantada.

O mordomo infiel tem toda uma aparência religiosa, é semelhante àquelas citações do facebook feitas para quem abandonou a comunhão, fuigiu do “oikos” e vive pensando que a Casa de Deus é apenas ela mesma, que ela é a igreja, logo não precisa do “espaço sagrado”, mas Jesus precisava porque lá fora estavam os inimigos que viviam espreitando-o para ver se era possível apanhá-lo em alguma falta. Por isso Jesus não confiava neles.

Os de fora podem chegar a provocsr a “ira”, Jesus ficou irado com os de fora que entraram na casa para afrontá-lo com suas incredulidades.  Os de fora diziam: “Quem é esse que pretende perdoar pecados?” (Mc 3.5) Jesus olhou à sua volta irado.

Lá fora apegam-se às tradições e abandonam o povo. O fechamento mental, o tampar de ouvidos é tal que a ideologia  fermenta a violência e inspira o desejo de matar. E matam quando levam para fora  os que estavam crescendo no interior das casas e  dos Templos.

Quem se afasta da Igreja procurando se isolar é o mesmo que dizer, “sou melhor do que vocês”.  Sáo muitos os que além de se afastarem tentam matar quem se levanta para defender o povo. Matam com a ajuda do diabo que induz ao isolamento e critica a Igreja.

Jesus estava falando sobre o Reino de Deus e o império do diabo, quando apareceram do lado de fora seus irmãos, “e ficando do lado de fora, mandaram alguém chamá-lo, e havia grande número de pessoas sentadas  em torno dele, e lhe avisaram: Olha! Tua mãe, teus irmãos e tuas irmãs estão lá fora e buscam por ti”.

Esse conceito familiar foi então estendido por Jesus, “Aqui estão minha mãe e meus irmãos”. Os de dentro. O oikos é o lugar escolhido por Jesus. (Mc 3.31-35). E  você qual lugar escolhe?

A ideologia dos fariseus dominava até os irmãos de Jesus que não eram convertidos, Ele tinha pelo menos duas irmãs, já que o texto cita, “tuas irmãs”. Mas Maria era convicta da vocação de Jesus, mais do que os outros filhos dela que duvidavam, mas vieram a ser converter tempos depois.

Mas era lá fora que se manifestava o Diabo o inimigo pleiteava a idelogia da rua: “Está fora de si” (Mc 3.21). Porta adentro reinava Cristo e seus ensinamentos, e o diabo nunca prevalecia, rugia do lado de fora. Não fique desse lado, não tome posição com quem está do lado de fora.

A casa é o centro do discipulado, e o Templo sua extensão. Jesus estava sempre nas casas e no Templo, Se isso serve de exemplo, cuide bem da sua vida espiritual, porque a sua alma pode está faminta de comunhão viva que você só encontra  no Corpo de Cristo.

A última pergunta: – Porque Jesus preferia o interior de uma casa? Estaria ele errado e você certo?

Até a próxima

Publicar uma resposta