Menu páginas
TwitterRssFacebook
Menu Categorias

Publicado por em nov 30, 2015 em Bispo Inaldo Barreto, Blog, Notícias, Sem categoria | Ninguém comentou

QUAL É O VERDADEIRO NOME DE DEUS?

QUAL É O VERDADEIRO NOME DE DEUS?

APOLOGÉTICA II

Gratuitamente recebi o livro: “O QUE A BÍBLIA Realmente  ENSINA?, escrito dessa forma. Essa literatura está sendo distribuída gratuitamente nas praças. Peguei o livro e fui na página 195 , lá podemos ler o estudo sobre o tema: “O nome divino Seu uso e significado”. Para destacar o nome da própria religião as Testemunhas de Jeová mostram o tetagrama  יהוה com a pronúncia que eles afirmam com toda a certeza ser, Jeová. Mas será que está correto essa pronúncia?  Eles citam o Salmo 83,18 ” Saberão, portanto, que só tu, cujo Nome é Eterno, é Único, e que somente tu, ó Altíssimo, és o Senhor e soberano de toda a terra!”. Essa versão KJV até acrescentou uma transliteração do hebraico, “Veiedeú ki ata shimchá Adonai levadêcha, elion al col haárets”. (Adonai é obra dos massoretas para evitar a pronúncia Yahú)

A versão Interlinear da Nova Versão Internacional, Hebraico-Inglês do Antigo Testamento, coloca a transliteração  Yahweh, que em português daria Iavé, também, temos a tradução KJV , The Lord, (O Senhor) e em espanhol, a tradução Reina-Valera usa o nome Jehová,  “Y conozcan que tu nombre es Jehová”, (E conheçam que teu nome é Jehová). A Bíblia de Jerusalém, traduz como, “Saberão assim que só tu tens o nome de  Iahweh “; frequentemente lemos nessa versão, “Jehová, Dios”, às vezes apenas, “Dios”. Por exempolo: “Jehová, dios mío, en ti he confiado” Salmo 7,1;   “Jehová le dijo:” (Êxodo 34,10).

Os testemunhas enfatizam muito essa questão porque é aqui que reside a razão da religião da Torre de Vigia. Eles então, fazem a pergunta clássica: [-Qual é a importância do nome de Deus? Considere a oração modelo, ensinada por jesus Cristo. Ela começa assim: “Nosso Pai nos céus, santificado seja o teu nome” (Mateus 6:9). Mais tarde, Jesus orou a Deus: “Pai, glorifica o teu nome”. Em resposta, Deus falou do céu: “Eu tanto o glorifiquei como o glorificiarei de novo” (João 17:28). Note que aqui eles colocam simplesmente “Deus” na frase,  “Em resposta, Deus falou do céu”, deveriam constar, “Jeová”.]

Eles reconhecem que o hebraico antigo era escrito sem vogais. “Assim ninguém pode dizer com certeza como as pessoas nos tempos bíblicos pronunciavam o nome YHWH “. Contudo insistem que a pronúncia correta é Jeová, e acrescentam: “É evidente que o nome jeová faz parta da Bíblia”.  Essa declaração consta na pagina 197.

Na Bíblia podemos encontrar mais de setenta nomes para Deus, esses nomes nasceram da convivência dos judeus com o judaísmo, e isso no rígido sistema monoteista judaico. Curiosamente no politeísmo cada deus tem um só nome, Tupã ou Shiva eles têm apenas um nome. Mas o Deus da Bíblia tem muitos nomes. Os testemunhas não gostam, mas é assim mesmo, temos muitos nomes para Deus.

No texto hebraico vem tudo com letras minúsculas e sem pontuação. Imagine você lendo um texto hebraico sem pontuação.

 É fácil invocar a Deus, mas é difícil nomeá-lo. O nome mais frequente é El, depois temos na sequência, Elohim, el Elion, El Shadai e Eloah. Os nomes nasciam pela necessidade que era projetada no nome de Deus, assim o povo começava a dizer, El, Eli, El Shadai, Elohim, Eloah, El Berit, El Olam, El Elion, El Roi, Adonai, Sabaot, Yah, IHVH, Hashem, todos esses nomes refletiam uma crise, uma ocasião, uma benção especial, um livramento e assim por diante.

Nem a Bíblia, nem o Alcorão conseguiu colocar um nome suficiente. Quem simplificou tudo isso foi Jesus quando chamou Deus de Abbá, Pai.  Assim o cristão deve invocar a Deus, chamando-de Pai, Jesus resolveu a questão, trouxe Deus para perto de nós e nos tornou filhos de Deus (Theós) pelo novo nascimento, e assim fomos  adotados na Família de Deus.  Paulo deu ênfase em nossa  adoção como filhos. “para redimir a los que estaban bajo la Ley, a fin de que recibiéramos la adopción de hijos” (Gálatas 4.5) A Bíblia de Jerusalém diz, “Adoção filial”, e também fala do clamor filial, “Abba Pai”. (Gálatas 4:6)

Os Semitas em geral chamavam Deus de El, para os cananeus, El era o pai de todos os deuses, por isso os judeus sempre acrescentavam um complemento, El Elohim de Israel, ou El Bethel, Deus de Betel, literalmente seria, “Deus da casa de Deus”. Quando queria dizer: “Meu Deus”, eles acrescentavam a letra “i” e ficava, “Eli”; esse foi o nome que Jesus usou nas suas últimas palavras, é importante notar que Jesus não disse Jeová.

Com El temos nomes compostos como, “El Berit”, Deus da aliança, e assim por diante, El nas Escrituras e até nas literaturas de outros países vizinhos de Israel de então, era o chefe dos deuses, um deus principal, por isso Israel ajustou esse nome para si, fazendo sempre um nome composto na maioria das vezes que aparece na Torá.

Mas é Elohim o primeiro nome de Deus na Biblia, aparece logo em Gênesis, para começar sem a citação de Jeová.  Algumas vezes os judeus expressam de uma forma como quem acreditasse na existência de outros deuses, eles falam que, “Elohim é mais poderoso do que os outros deuses”.  Mas que deuses? Não existem outros deuses. Eles caminham em direção ao  monoteísmo e terminam com o tetagrama não pronunciável יהוה .

Quando os supostos 70 sábios traduziram a Torá para o grego, surgiu a versão Septuaginta, nessa versão resolveram designar Elohim de Israel pelo termo, Deus,  Θεός, (Theos);  assim, ficou no grego, lá todos chamam Deus de Θεός (Teós). Algumas versões antigas aparece até o nome Zeus traduzido de Elohim.

Por último, vamos ao que interessa: – Qual é o nome de Deus? Afinal como devemos dizer, Deus, Jeová, Zeus, Elohim?

O judaísmo rabínico adotou o tetrarama, IHVH, esse nome aparece quase 7000 vezes na Bíblia,  os últimos rabinos começaram a traduzir Elohim por Yavé tentando se aproximar da verdadeira pronúncia, essa parece ser a pronúncia mais próxima, muito melhor do que Jeová. Mas IHVH não é pronunciável, nem tanto por ser um nome sagrado, mas porque não se tem como pronunciar um nome escrito só com consoantes, יהוה. A primeira é o “Iud” em seguida temos,  Hei, Vav e Hei .  IHVH.

Devemos entretanto admitir que havia sim, uma pronúncia, e possivelmente segundo os estudos mais acurados, seria Yahú ou Yahô, como o hebraico ficou 2 000 anos em completo abandono, ninguém se lembra mais como se pronuciava, mas havia com certeza absoluta uma pronúncia, porque eles precisavam invocar o seu Deus.

Dizem que só o sumo sacerdote pronunciava o nome de Yahú, e, isso somente  no dia do Yom Kippur (dia do perdão).

Quando Moisés pergunta pelo nome de Deus, Ele responde, “Eu sou o que sou” ou “Eu serei o que serei”, Para alguns eruditos judeus, a resposta significa: “O meu nome não te interessa” ou “o meu nome não te importa”. Assim o Deus único é tão único que ninguém sabe como pronunciar o seu nome, mas os Testemunhas de Jeová afirmam que que é Jeová.

Hoje no Judaísmo rabínico o tetagrama é impronúnciavel, a pronúcia primitiva ficou perdida ninguém sabe, não tem como reconstruir uma pronúncia de uma palavra sem vogais,

Como niguém sabe, se busca uma alternativa e Yavé ou Yahú é a melhor escolha. Os pais da Igreja concordavam com Yavé, por volta do ano 220 São Clemente de Alexandria optou por Yavé, no século IV Epifânio de Salamina confirmou essa pronúncia, também Teodoreto de Cirro confirmou a mesma pronúncia.

Orígenes (185-223) por sua vez confirma a pronúncia Yahú ou Yahô, na sua grande obra, Hexapla, uma versão em grego e hebraico, em seis modalidades, Hebraico, hebraico transliterado, Grego, Aquila de Sinope, a versão Simaco, O Ebionita, uma versão septuaginta com anotações e referências, e uma versão de Teodócio. Nessas versões Orígenes usou Yahú ou Yahô.

Quando Orígenes escreveu sua apologia, Contra Celso, ele diz que os gnósicos pronunciavam o nome Yahú; também aparece em Santo Irineu de Lyon no século II em seus escritos Contra os Hereges ele confirma Yahú.

Para Deodoro da Silicia (90-30) a.C  em sua Biblioteca Histórica aparece uma frase, “Moisés recebeu as Leis do Deus chamado Yaô.

E finalmente no Qumran, no fragmento 20, o tetragrama é a lido como Yahô. No entanto temos ainda a pronúncia abreviada de Yah, podemos encontrar esse nome com muita frequência na Bíblia em vários Salmos. Vamos destacar o Salmo 77,12 em hebraico onde consta, יה, transliterado Yah. Em português e na KJV não consta essa abreviação, fica subentendido no texto, “Penso em todas as tuas obras, e medito em teus prodígios”.

Muito bem. Será que temos que ficar preocupado com aquilo que dizem os Testemunhas de Jeová?  Uma coisa é certa, quando alguém quer achar uma pronúncia que nem os judeus ousam pronunciar e nem tem tanta certeza da pronúncia, só podemos pensar em teimosia, nada mais.

O rabino massoretas por zelo para preservar o nome de Deus taduziram o tetagrama por Adonai, e criaram os sinais vocálicos.

Curiosamente nem Moisés sabia o nome de Deus e devia saber, já que desde Gênesis consta: “A partir de então o nome de IHWH começou a ser invocado”, foi a partir de Enos filho de Sete, “A Sete masceu-lhe também um filho, ao qual pôs o nome de Enos; dai se começou a invocar o nome do Senhor” (Gênesis 4,26). E Moisés não sabia?

Não se preocupe porque o Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo é invocado por, Altíssimo, Santo, Santo de Israel, Protetor, Criador da Luz, Libertador, Juís, Rei da Glória, Zeloso, Rocha e Refúgio, Antigo em Dias, Pai Eterno, nosso Pai, Tremendo, Todo-poderoso, Aquele que Tudo Vê, Quem nos Santifica, Deus da Aliança, Nossa Paz, Deus da Graça e Misericórdia infinita, e pro aí vai.

Assim, não devemos nos preocupar com a tagarelice dos seguidores da Torre de Vigia, eles nem sabem o que dizem, é apensas um apelo desesperado para aumentar  o número de membros, nada mais do que isso. No fundo eles sabem que não sabem o nome de Deus. Entretanto para melhorar é melhor que reconheçam o nome de  Deus como ensinaram os Pais da Igreja, Yahú ou Yahô.  Mas podemos ficar com Iavé, mas se alguém já se acostumou com o nome Jeová  não tem importância, não estará blasfemando, adore a Deus com a consciência tranquila, sabendo que Ele é o Deus Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo.  Isso basta.

Bispo Primaz I.F.Barreto

 

 

Publicar uma resposta