Menu páginas
TwitterRssFacebook
Menu Categorias

Publicado por em nov 23, 2013 em Bispo Inaldo Barreto, Blog, Notícias | Ninguém comentou

O PERIGO DE UMA INTERPRETAÇÃO LITERAL

O PERIGO DE UMA INTERPRETAÇÃO LITERAL

Herem,חרם:

O tratamento do cativo

“Agora, pois, matai dentre as crianças, todas as do sexo masculino; e matai toda mulher que coabitou com algum homem, deitando-se com ele. Porém todas as meninas , e as jovens que não coabitaram com algum homem, deitando-se com ele, deixai viver para vós outros” (Números 31.18)

Difícil você encontrar uma nota no rodapé explicando esse texto. Se a interpretação for literal encontramos o absurdo ensinado por Moiés em relação ao prisioneiro tanto em relação à   mulher que teve relação sexual com alguém, como também  a “proteção” dada às virgens, e a crueldade de matar os meninos.
Se a intenção era proteger o povo da idolatria, as virgens estariam na mesma condições do meninos e dos outros que foram mortos à espada. E o final do verso: “Deixai as virgens  viver para vós outros” demonstram um desejo sexual fora de propósito.
Na Biblia: (Santa’ Biblia) Reina-Valera 1995 – Edición de Estudio, trás uma nota sobre a palavra, herem, coisa consagrada e proibida ao uso comum.
Numeros 21.2: “Entonces Israel hizo este voto a Jehová:  Si en efecto entregas este pueblo en mis manos, yo (herem) destruiré sus ciudades”
(Destruiré sus ciudades. Esta expresión se refiere a una costumbre, llamada en hebreo herem, común entre los pueblos del antiguo Oriente y praticada ocasionalmente  por los israelitas, si bien con ciertas restriciones. Consistia en consagrar a la divindade todo aquello que habia pertenecido a outros dioses, destruyéndolo completamente, porque se lo consideraba tabú. En los primeros años de su asentamiento en Canaán, los israelitas nos aplicaron, el herem de manera uniforme.)
As explicações tende ao sentido sociológico do período das trevas intelectuais e morais. Logo é um caso absulotamente histórico sem valor doutrinário, tampouco revela o caráter de Deus. Era um costume tribal primitivo e Israel inadvertidamente copiou para si.
Herem,חרם:
Coisa consagrada, interdito. O sentido básico é impedir  o uso ou o abuso de um objeto por parte do homem e entregá-lo irrevogavelmente a Deus. A palavra tem uma raiz árabe que significa, “proibir”. O harem da poligamia árabe tem essa raiz. Mas nesse caso o tal rei se achava um tanto divino. O harem estaria interditado aos estranhos, menos ao rei.
Herem foi um costume dos antigos Sumérios que consistia em matar todos os prisioneiros inimigos. Um costume sem dúvida cruel.
Algmas vezes o próprio homem se transformava num “interdito”, “um homem sob o meu interdito”  Isaías 34.5.
Esse termo varia até significa, uma rede de pescador ou caçador.  (Mq 72) (Ez 26.5).
Uma nação quando pratica atos abomináveis se torna interdita, e nesse caso ela mesma se fez interdita. Talvez as nações que por meio de seus governantes autorizam o casamento entre pessoas do mesmo sexo se tornem interditas.  Pode ser, mas pode ser que sofram apenas os envolvidos, já que os cristãos nada tem com essa prática abominável. Abominável, digo em relação ao casamento autorizado, pois a questão da homosexualidade é uma abominação, mas quem quer seguir esse caminho que siga sem obriga os outros a seguí-lo.

Conclusão:

A Bíblia é um livro inspirado por Deus e exige uma interpretação. Em alguns casos a interpretação deve ser literal, noutros símbolico ou espiritual. Em todos os casos sob a luz do Novo Testamento e do amor de Cristo Jesus.
Bispo I.f. Barreto.

Publicar uma resposta