Menu páginas
TwitterRssFacebook
Menu Categorias

Publicado por em jan 20, 2015 em Bispo Inaldo Barreto, Blog, Notícias | Ninguém comentou

O DEMÔNIO DA DITADURA AINDA NÃO FOI EXORCIZADO

O DEMÔNIO DA DITADURA AINDA NÃO FOI EXORCIZADO

 

“ει δε εν δακτυλω θεου εκβαλλω τα δαιμονια ” (Lucas 11.20)

εκβαλλω τα δαιμονια

Jesus disse, “se então com o dedo de Deus expulso os demônis” algo novo estava acontecendo.

Se existe algo terrível no Brasil que o torna campeão de morte praticada por quem devia dar garantia à vida, “é o demônio da violência”. Estranho porque ainda não foi de fato expulso o “demônio da ditadura”. Foram feitas muitas reformas, mas uma, apenas uma ainda falta, talvez a única no setor da violência, mas é urgente que se faça. O demônio que habita as corporações como herança da ditadura que segue apoiada por governo que se diz socialista, é essa, a “violência policial”. Chega-se ao ponto de se pedir que a polícia ande desarmada, pois é um perigo à vista quando um militar se aproximar de um civil. O povo teme a policia, mas com certeza o criminoso não.

A sociedade desamparada à mercê do fuzilamento sem decreto, sem tribunal, sem direito à defesa, sem direitos humanos, sem nada é o que prevalece no Brasil de então.

Os dados, as noticais que se espalham por todos os cantos é a liberdade com que a polícia executa. Essa forma de ser polícia adotada pelos governadores, acatada tacitamente pela presidência é um fato, não é mera conjectura a respeito do assunto, é a verdade nua e crua. Há de se pensar que o cidadão teria o direito de se defender já que não pelo Estado que seja por conta própria, mas isso não iria resolver a questão. É Utópico tal qual a garantia dada pelo governo à vida à segurança com a presença do homem fardado.

A Ditadura acabou mas para o povo ainda não, à mercê de homens despreparados se recomenda distância, “nem sequer olhem nos olhos deles” já diz o velho ditado. A polícia brasileira anda stressada com o dedo no gatilho. Isso tem sido até mesmo a causa das mortes de milhares de policiais, já que a bandidagem não perdoa, não é como as familias violentadas pela abordagem violenta da polícia, essas ficam quietas, não tem como reivindicar. Os governadores no máximo mandam prender o policial infrator, pelas contas mais simples deve haver centenas de policiais presos, isso porque não estavam preparados para proteger, mas foram designado a tratar o povo como bandidos. e puxar o gatilho é a primeira coisa que fazem.

Esse demônio da ditadura precisa ser expulso da sociedade, Jesus disse, εκβαλλω τα δαιμονια, “Eu Expulso os demônios” (Lucas 11.20).

É o que deve ser feito, demônios na filosofia grega era o “espírito” da época, o “espírito” dominante nas mentes, o “espírito” intermediários entre o homem e o seu superior. Esse tipo de demônio” é político, e deve e necessita ser expulso por um decreto do governo. O povo precisa decidir esse assunto, já que o governo, mesmo o de São Paulo que se julga o melhor não tem a menor condição de começar tal exorcismo político, ele como outros são reféns da ditadura “invisível”. Um domínio tal qual como o próprio “demon” que navega nas águas tranquilas das mentes dos governos e até do Executivo sem ser incomodado.

Assim como para os gregos o “daimon” podia ser um “ser divino”, parece que para as nossas autoridades é isso o que se passa, não fazem nada, como disse Jesus, “Não ajuda o povo a levar o fardo, nem mesmo com o dedo ajudam”. É de se lembrar que com esse “dedo” que não usam, Jesus enfaticamente disse, ” ει δε εν δακτυλω θεου εκβαλλω τα δαιμονια ” Se com o Dedo de Deus expulso os demônios, é porque algo novo estava chegando.

Mas até agora, desde 1964 quando se instalaou o governo militar e se criou o militarismo, esse demônio da ditadura não foi expulso, é a praga que destrói as famílias, impede o progresso, impede até o esporte com assassinato do surfista no Sul do País.

A Polícia merece todo respeito, todo apoio da sociedade, mas precisa se reciclar urgentemente para o bem da própria corporação. Um policial que em vantagem estando armando se exaspera a ponto de atirar num cidadão indefeso demonstra que toda a corporação estar despreparada. Urge mudança, urge que o povo reivindique contras mazelas do governo contra o aumento de impostos,

Publicar uma resposta