Menu páginas
TwitterRssFacebook
Menu Categorias

Publicado por em jul 18, 2016 em Bispo Inaldo Barreto, Blog, Notícias, Sem categoria, Vídeos | Ninguém comentou

JOGOS OLÍMPICOS 2016 E A ONDA DE TERROR.

JOGOS OLÍMPICOS 2016 E A ONDA DE TERROR.

Aldoous Huxley nasceu no dia 26 de Julho de 1894, ele já devia ter mais de 60 anos quando escreveu, “Maravilhoso Mundo Novo”, então, ele parou e pensou: “Cincoenta anos atrás, quando era um rapaz, parecia completamente evidente em si mesmo que os velhos dias maus se foram, que, tortura, massacre, escravidão e a perseguição aos heréticos foram coisas que ficaram no passado. Os que usavam cartolas, viajavam de trens, tomavam banhos todas as manhãs, podemos acrescentar: que iam aos cultos ou missas aos domingos, frequentavam “shopping centers”, visitavam seus parentes; tais horrores estavam fora de questão”.

Estamos a poucas semanas dos jogos Olímpicos, precisamente no dia 05 de Agosto tem início o espetáculo. O terrorismo islâmico prefere atentados em momentos de distração da vítima, qualquer descuido é uma oportunidade. O governo brasileiro se preocupa, e o nível de atenção subiu, o plano de segurança foi revisado, mas se sabe que nesse particular o Brasil é quase inocente, crédulo, sem proteção.

Autoridade que supervisiona a segurança prometeu mais postos de controle, barreiras, restrições, isto é, os jogos poderão ser vistos, o cidadão vai pagar pelo ingresso, mas não terá a tranquilidade necessária para se sentir em meio a um entretenimento. Serão momentos de tensão, qualquer barulho vai trazer o pânico.

O assassino de Nice segundo a polícia franceza não tem os traços de um jihadista, mas ocorre que todo muçulmano já ouviu falar na recompensa pela morte de infiéis. O lema deles é: “Use todos os meios disponíveis para matar infiéis”. é norma entre os radicais se inspirar nos seus profetas: “Atire neles, esfaquei-os, joguem bombas neles, coloque veneno na comida, na bebida, atropele, jogue pedras neles”. O menos danoso é a ordem para apenas gritar com os infiéis. Eles fazem muito isso na Europa, gritam com as mulheres, gritam com os guardas. Gritam.

A religião islâmica tem o que se chama, “Lado bom”, os pacíficos, mas ninguém de bom senso acredita nessa conversa. Qualquer um pode observar nas redes sociais dominadas pelos muçulmanos a festa que fazem quando acontece um ato terrorista, faz parte do culto.

O lider máximo do terror liberou para aqueles que quiserem agir isoladamente, bençãos pelos atos de terror praticados em nome da religião, como disse o presidente francês Hollande: ‘de um jeito ou de outro o assassino de Nice está ligado ao radicalismo islâmico’. Ele esqueceu de dizer, que a ala boa do islão comemora os atos insanos da ala perversa da reiligião. Na França se comemora a Bastilha, todo mundo sabe o que foi, é uma comemoração das mortes lideradas pelo terrorista Robespierre adovogado e políico francês. Foi a época do terror conforme escreveu Charles Dickens. Esse terrível paradoxo, uma atentado em plena festa pela Bastilha.

Todo fundamentalismo é danoso, seja religioso seja político é sempre um atentado ao livre pensar. a interpretação literal do Alcorão ou mesmo da Bíblia pode levar ao seguidor a se transformar num terrorista. Para o Muçulmano a Palavra de Deus foi ditada diretamente para o profeta Maomé. Imagine isso! Como um muçulmano normal, ou pacífico irá se comportar diante de textos violentos ditados pelo anjo ao seu profeta mor? É o fator “inerrância” do Alcorão.

Os textos interpretados literalmente estão cheios de armadilhas. A interpretação literal do texto religioso sem o recurso da alegoria, ou mesmo do mito significa uma porta aberta das comportas

críticas de textos inflexiveis para o povo. Se é literal tenho que fazer, tenho permissão sagrada para o ato violento.

Para entender essa questão do literalismo, basta observar a declaração do mufit (doutor da lei muçulmana) Sheikj Abdullah bin Baz, que ousadamente concorda e excumunga o sistema cosmológico de Corpérnico do século 17. Para a religião o que existe são os “sete céus”.

Partindo desse contexto é que não se pode imaginar quem realmente é terrorista além dos que se declaram terroritas, nem se pode pensar com clareza como o Brasil irá enfrentar essa situação, já que, o momento é propício para um ato insano que irá repercutir no mundo inteiro.

Se conta que o governo Lula doou terreno para os terroristas islâmicos, e de uma forma geral todo o partido PT flerta com o Estado Islâmico. E esse pode ser um motivo sério para atentados em pleno jogos olímpicos como uma declaração de apoio ao governo deposto.

O que o governo teme, ou deve temer, são as ações isoladas dos chamados “lobos solitários”, gente que se parece com o povo, se infiltra e comete os atentados. O relatório da CIA já prever O Ciclo do Medo quanto mais medidas de segurança se tomar nesse período, maior será o medo entre o povo. A CIA prever que por volta de 2020, a Al Qaeda seja subistituida por grupos extremesitas semelhantes, isso já aconteceu, estamos em 2016. A informática já permite grupos ecléticos de terrorismos, e temos no Brasil essa condição. Toda a estratégia dos terroristas será “on line”. A “ABIN” ( Agência Brasileira de Inteligência) deve está de olho no facebook, especialmente estão monitorando brasileiros siimpáticos ao Estado Islâmico.

Num eventual atentado durante os jogos Olímpicos o Brasil será definitivamente incluindo como alvo. Já foi detectado um plano de ataque, mas não se encontrou nenhum culpado. O Estado Islâmico até divulgou nas suas redes de comunicação uma lista de quem deve morrer, e alguns brasileiros foram citados.

Num eventual atentado o Exército irá entrar em prontidão e o próprio governo pode se desestabilizar, e pode também ocorrer uma intervenção militar.

O Estado Islâmico pode perpetrar um atentado para mostrar solidariedade ao governo que foi apeado do poder, por isso, essa possiblidade de um ato terrorista em pleno Jogos é uma probabilidade real. Os americanos cancelaram 20 mil ingressos dos jogos, porque o próprio governador do Rio alegou “insegurança”.

O Rio de Janeiro é símbolo de luxo, de riqueza, de beleza, ainda que saibamos haver por lá muita desgovernança, e miséria, mas a fama é grande. O próprio governador declarou nos Estados Unidos numa entrevista que o Rio está entregue à sua própria sorte; ele disse categoricamente que a segurança no Rio é “terrível, horrível”. por isso os americanos devolveram 20 mil ingressos. Estão corretos. Vir numa festa dessa para quê?

Torcemos para que não haja atentado algum, mas é melhor ficar de olhos bem abertos.

Publicar uma resposta