Menu páginas
TwitterRssFacebook
Menu Categorias

Publicado por em jul 3, 2016 em Bispo Inaldo Barreto, Blog, Destaque, Igrejas, Notícias | Ninguém comentou

DISCIPULADO, O SERVIÇO PASTORAL E O COMPROMISSO

DISCIPULADO, O SERVIÇO PASTORAL E O COMPROMISSO

No discipulado descobrimos a necessidade da humildade em servir, começa com o ide, depois com o serviço pastoral que introduzimos e encaminhamos para o pastor da Igreja Local. Em parte fazemos, mas não completamente. Entretanto o líder pode: aconselhar, orar, e resolver os problemas na casa onde ele evangeliza discipulando.

No ensino não podemos esquecer de passar a ideia de compromisso, depois firmar essa ideia como algo concreto, assumindo compromisso. O compromisso começa conosco mesmo quando elaboramos um relatório de atividade para entregar e discutir o assunto na reunião do núcleo.

1- O uso de uma apostila 

A apostila é um guia para os estudos iniciais, todo líder deve está lembrado de que, a Escritura é a autoridade final; mas para isso o líder deve está bem formado nessa questão para não abraçar heresias que afirmam ser revelação das Escrituras.

Paulo ensinou que, “Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a edificação na justiça” (2ª Tm 3.16).

Todo líder deve ser testado inicialmente como obreiro, quem já fez o Imret já está preparado, entretanto é necessário reuniões com os líderes para que eles estejam sempre conscientemente lembrados da necessidade pastoral e do compromisso e da união de todos no mesmo propósito.

Para uma boa compreensão do compromisso recomendamos a leitura do livro: “El Compromiso”.

2- O discipulado

Fazer discípulo é fácil e díficil vai depender da disposição. Não podemos fazer um discípulo que se torne no final de tudo um neófito sem conhecimentos básicos dos fundamentos da fé cristã.

No último Encontro Nacional de Pastores e Líderes o Bispo Wilson falou sobre a confraternização, todo encontro termina realmente com um pequeno lanche, mas deve-se evitar churrascada ou excesso de comida e refrigerantes.

Se houver interesse se o discípulo oferecer pode até acontecer, mas o líder não deve sugerir, deve respeitar as condições de cada discípulo.

3-Submissão 

Todo líder deve prestar contas das suas atividades ao coordenador do Evento, telefonemas dados, contados feitos, oração se fez ou nao, estudos ministrados. Deve-se anotar a reação de cada um a satisfação, o desejo de continuar, o amor a Cristo, a alegria de receber a visita, notícias sobre solução de conflitos familiares, problemas individuais. Enfim tudo o que Jesus fez, tudo o que o Espírito operou naquele momento devocional.

4- O GRANDE RISCO 

Ao fazer um discípulo você deve ter em mente que, o importante é que vejam Jesus, Os gregos disseram a Felipe, “queremos a Jesus ver”. θέλομεν τόν Ιησουν ιδείν.

“Eidos” e “Oráo”, ver e aparência desde Homero e Platão, eles aprendiam vendo, para os Hebreus ver e ouvir são duas formas de aprendizado.

No tempo de Jesus os judeus faziam discípulos conhecidos por “prosélitos”, eles foram advertidos por causa da forma que usavam, eles prendiam as pessoas em coisas, em medos, em juramentos. “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque rodeais o mar e a terra para fazer um prosélito, e , uma vez feito, o tornais filho do inferno duas vezes mais do que vós” (Mt 23.15).

Muitos são os que se apegaram a lenços ungidos, templos, medos, desafios, água supostamente do Rio Jordão, até mesmo se apegam às vassouras ungidas, mas não se apegaram a Cristo, viram muita coisa, mas não viram a Jesus. Precisam ser libertos da superstição.

Mesmo que alguém se apegue a uma doutrina favorita, mas se não ver a Jesus nunca se firmarão na verdade.

Nosso discipulado é para mostar Cristo Jesus, Crucificado e Glorificado, a pessoa pode entender sobre pecado, prosperidade, Segunda Vinda, mas o Centro é: Conhecer a Jesus, “Vi o Senhor! disse Maria Madalena. ראיתי את ישו, raith et Yeshua.

5-O NÚCLEO 

No núcleo se reúne os discipuladores para compartilhar a missão, visualizar o crescimento da Igreja, orar pelos grupos de estudos, as células, discutir o crescimento. Isso pode ser feito numa quinta feira onde se reúne os lideres para avaliar, orar, discutir estratégias e se fortalecer. A visão compartilhada.

O livro, O Núcleo pode ser estudado nesse momento como uma introdução ao Evento liderado pela equipe.

Uma lembrança:

A IMR na sua fundação se inspirou em fazer discípulos conforme o artigo 3º “A IMR tem por objetivo: Adorar a Deus em espírito e verdade, propagar o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, ganhar almas para vida eterna, fazendo discipulos cf. MT: 28,19…..

5-A Assembleia dos santos 

É a reunião do Núcleo em adoração e louvor, uma reunião administrativa e outra de louvor a Deus pelas vidas. o resumo é:

A) CULTO DE CELEBRAÇÃO, no templo todos os domingos pela manhã

B) NÚCLEO : Encontro de louvor e adoração, e reunião administrativa

C) AS CÉLULAS: As casas de discipulado

D)ENCONTRO ÁGAPES: Encontro para confraternização com líderes e discípulos

Publicar uma resposta