Menu páginas
TwitterRssFacebook
Menu Categorias

Publicado por em out 21, 2013 em Bispo Inaldo Barreto, Blog | Alguém comentou

BOXEADOR

BOXEADOR

“…foi-me colocado um espinho na carne , um mensageiro de Satanás para me atormetar. Por três vezes, roguei ao Senhor que o removesse de mim”. (2 Co 12.7b-8)


Muitas são as conjecturas e especulações  acerca desse “espinho na carne”, doenças, inimigos religiosos, assim pensava Lutero, já que no hebraico espinho significa também inimigo, mas nada disso explica o termo: “mensageiro de Satanás, para me esbofetear”.

I – Esbofetear ou atormentar?
Muitas versões trazem atormentar, como King James Version Atualizada (KJA), Edição de Estudo – 400 anos. Outras porém, mantém o termo, esbofetear, “un mesnjero de Satanás que me abofete”, “a mensager of Satan to buffet me”. (Reina-Valera 1960/ New King James Version). A Versão Boa Nova em português corrente traduziu assim; “foi colocado no meu corpo como que um espinho, que, como um enviado do Diabo, me castiga continuamente”.
Mas o que devemos buscar é o sentido da palavra, κολαφιζη, “kolafizé”. O prefixo é κολα Kola, do verbo Κολαζω,  contender, refrear, castigar, repreender. Κολαστες, é o castigador, e Κολαφιζω, Esbofetear. “Signifca golpear con las manos cerradas, golpear con el puño.”

II-Luta de boxe?
“Satanas le souffleteur” (o souffleur)
O termo grego significa “bater com o punho” como numa luta de boxe,  seria um espancamento espiritual, tapas que faziam corar, e com isso toda possibilidade de orgulho ia abaixo.
Conta-se que os romanos tratavam os generais vitoriosos com grande honra, desfiles triunfais para homenageá-los muitos iam para a guerra pensando em voltar vitoriosos  e receber as homenagens. Para prevenir a arrogância e a megalomania que pode se apoderar dos heróis, um escravo se postava de pé na mesma carruagem do general herói, e de vez em quando ele murmurava no ouvido do General, “Respice post te! hominem te esse memento!” (Olha para  atrás de ti! Homem és lembra-te!) ” Hominem te esse memento!” (Lembra-te de que és homem!) O Teólogo pai da Igreja, Tertuliano (Quintus Septimus Florens Tertuliano), contava essa história para seus discipulos.
A Bíblia que talvez se aproxime melhor do fenômeno contado por Paulo é a versão, La Saite Bible, Traduite sur les textes originaux Hebreu et Grec. “un ange de Satan pour me souffleter” (um mensageiro de Satanás para me esbofetear”. Só que a palavra, souffleter, (çufletê)  vem do soprar, Souffler (çuflê)  soprar, respirar, excitar, por exemplo, “le vent souffle violemment”.
Podemos especular que Paulo que no passado fora blasfemo, como escreveu a Timóteo, “..noutro tempo era blasfemo, e perseguidor, e insolente” (1ª Tm 1.13a).
Agora se pensarmo no que é uma blasfêmia, logo concluimos de se trata de palavras proferidas contra autoridades. Os dicionários registram como “palavra que ultraja  a divindade ou a religião, ultraje contra pessoa ou coisa respeitável” Do latim, lat. “blasphêmia”, derivado do grego, “blasphemia” palavra de mau agouro, palavra ímpia, calúnia e difamação.
No Antigo Testamento
No Antigo Testamento temos uma palavra, na verdade uma frase que nos ensina algo a respeito, “- Segundo as obras deles, assim retribuirá; furor aos adversários e o devido aos seus inimigos; às terras do mar, dar-lhes-á a paga. Temerão, pois, o nome do Senhor desde o poente e a sua glória, desde o nascente do sol; pois virá como torrente impetuosa, impelida pelo Espírito do Senhor”. (Isaías 59, 18-19) Esses dois versículos praticamente estavam resumidos em uma versão mais antiga, “Em vindo o inimigo como uma torrente de águas, o Espirito do Senhor arvorará contra ele a sua Bandeira”.(Isaías 59.19)
Le Bible,” Quand l’ennemi viendra comme un fleuve, L’Esprit de l’Eternel le mettra en fuite”. (Quando o inimigo vem como uma tormenta, O Espírito do Eterno o fará fugir”.

Uma tentação incomum
Poucas pessoas conhecem a afronta de Satanás, o vento inflamável, Paulo talvez se lembrasse das blasfêmias e isso era um grande desconforto.
Quando um soldado volta da guerra às vezes ele elonquece com as lembranças da guerra, muitos se atiram ao chão imaginando um ataque, falam de inimigos, sonham etc.  O mesmo acontece com o cristão, o inimigo usa tudo o que você falava contra a igreja e contra o sagrado em geral para te esbofetear.
A dedução de que se trata de lembranças em forma de mensagem é a palavra Angelos, também se traduz por mensageiro, e mensageiro é aquele que trás uma mensagem, uma palvra, e no caso estudado, uma palavra de infâmia.

O ESCAPE
Sabemos como acontece, agora precisamos conhecer a rota” de fuga. Para onde fugiremos? Para lugar nenhum, nessa lutar devemos seguir a rota que foi seguida por Josafar:
“Rendei graças ao Senhor porque a sua miericórdia durda para sempre. Tendo eles começado a cantar e a dar louvores, pôs  o Senhor emboscadas condtra os filhos de Amom e de Moabe e os do monte Seir que vieram contra judá, e foram desbaratados” (2 Crônica 20.22)
Paulo de certa forma fez o mesmo, “me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o Poder de Cristo” (2a. Co 12.8b)
UMA BANDEIRA
Todos gostam de uma bandeira para erguer, um logos para dizer o significado da nossa Igreja, da nossa Escola, do nosso páis, enfim uma bandeira. Os hebreus começaram com Moisés a falar de uma bandeira, Moises erigiu um altar para comemorar a vitória e disse: Jehová-Nissi,  “O Senhor é a minha bandeira”.
Nosso barco é anunciado pela nossa bandeira, e quando vem a torrente o Senhor levanta contra o inimigo a sua bandeira.
Nês, pode ser, um poste de sinalização, como um Farol no Mar, emblema, bandeira, sinal e vela de embarcação, em todos esses significados econtramos uma profunda relação com a nossa vida comparada com um barco no alto mar.
Quando um soldado abandonava o estandarte, significava a derrota, “Os seus príncipes, espavoridos , desertarão a bandeira” (Isaías 31.9b)

CONCLUSÃO
A carta de Paulo a Timóteo fala dos últimos dias, “nos ultimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios” (1ª Tm 4.1) . Merrill F. Unger tirou a seguinte conclusão: “Know your foe”. Mas esse conhecimento não pode pretender ser exaustivo, quem procura demasiadamente conhecer os caminhos das trevas poderá ser por ele tomado.
Todo crente sofre essa perseguição íntima, bem chegada na alma, mas a confiança é que nos livdra de todo mal, “em vindo o inimigo como uma torrente, o Espírito do Senhor arvorará contra ele a sua bandeira”. A bandeira é que nos dá segurança, Jehova Nisi.
É o mensageiro de Satanás que fala para o crente falar mal um do outro, que envia mensagem homossexual, também para roubar no emprego, maldizer, e levantar contenda na igreja. A vitória só  é possível num pleno descanso na fé.
Bispo Primaz I.F.Barreto

Alguém comentou

  1. Frequentemente nossos pensamentos são guiados por emoções que sentimos, ouvimos de outras pessoas, lemos, ou vemos em algum lugar. Quando isso acontece ficamos reféns das circunstâncias e somos levados de um lado para o outro,levando duros golpes em sequência acabando caindo no chão do ringue. Realmente temos que descansar na fé.

Publicar uma resposta