Menu páginas
TwitterRssFacebook
Menu Categorias

Publicado por em nov 25, 2015 em Bispo Inaldo Barreto, Blog, Notícias | Ninguém comentou

APOLOGÉTICA

APOLOGÉTICA

APOLOGÉTICA 

A RELIGIÃO TEM FUTURO? 

Essa é a manchete de capa da Revista Despertai de Novembro de 2015, para o editor, “o futuro da religião é incerto”, já que o número de ateus aumenta a cada dia. Para exemplo vou citar a estatística que a revista apresenta na página 3, [“Aproximadamente 50% da população australiana diz que não é religiosa. Outros 10% afirmam ser “ateus convictos”].

Eles insistem num tema antigo: “Por que a religião está sendo abandonada?”, em seguida passa a enumerar os motivos principais. Vamos fazer a defesa da fé uma vez entregue aos santos. ponto por ponto. Deixo claro que eles não estão totalmente errados, e ninguém está totalmente errado, mas a verdade se encontra nas entrelinhas, e até nas linhas claras e evidentes para qualquer um que queira ler a Revista acima mencionada.

* PROSPERIDADE MATERIAL 

Eles afirmam: “Quanto mais rico alguém fica, menos religioso se considera”, uma verdade, mas como disse, sempre tem um espaço para fazer as devidas considerações. Não é verdade num sentido absoluto, muitos vieram para a igreja quando já eram ricos, outros ficaram ricos até mesmo por causa da igreja, quando deixaram seus vícios, seus gastos supérfluos e passaram a contribuir com as igrejas, o dono da Colgate por exemplo já era fico e ficou ainda mais rico ajudando Igrejas, nos Estados Unidos são os ricos que sustentam as igrejas, apesar das falhas,a igreja ainda é a igreja.

Eles alegam que: “em alguns lugares as pessoas têm um padrão de vida que faria o rei mais poderoso de 200 anos atrás, morrer de inveja”. Mas isso é normal, cada rico é rico na proporção da abundâncias das nações, portanto Abraão era muito rico porque tinha muitos camelos e outros bens, hoje um cristão pode ser rico, porque possui outras riquezas.

Ele cita um texto onde o hebreu pede para não ser nem rico nem pobre para que não venha a negar o seu Deus, mas esse é um caso isolado, a maioria dos crentes ricos ou dos hebreus ricos não negaram a fé por essa causa. Jesus ensinou que devemos buscar a benção de uma vida abundante, isto é, de acordo com a palavra “peressós” isto é, abundante, é ter e ser magnífico, notável, distinto, importante, ter mais que necessário, etc. Se alguém é avarento não quer dizer que a riqueza seja um mal em si mesmo.

Duvido muito que os russelistas busquem ser como foi São Francisco de Assis, eles possuem grandes e valorizadas propriedades nos Estados Unidos e pelo mundo inteiro, são milionários, suas revistas que são distribuidas gratuitamente não é feita a a custo zero, e nada é feito sem gastos, sem custo, como se diz: “náo existe sopa de graça”. O último que acreditou nisso foi o Executivo brasileiro que distribuiu verbas para todo mundo do seu partido e faliu o país. Evangelho Maltrapilho não pode socorrer ninguém, só ajuda quem editou o livro e vendeu milhares de exemplares. Demais são as riquezas dos cristãos que mata a fome em muitas partes do mundo.

Mas as Testemunhas de Jeová tem desistimulado os cristãos de tal forma que um líder anglicano chegou a dizer: “a avareza de muitos cristãos tem inviabilizado o trabalho da Igreja”. Acho que chega de falar desse tema, o que foi dito é mais do que suficiente.

* TRADIÇÕES RELIGIOSAS E PADRÕES DE MORAL

Eles citam que muitos jovens, acham as organizações religiosas antiquadas e deixaram de ter importância”. Mas a religião “Testemunhas de Jeová” é uma organização religiosa, eles sempre

querem se passar por uma “não-religião”, até escreveram para Hitler. Esse é um assunto que os seguidores da Torre de Vigia desconhecem, que; a liderança da religião na época em que Hitler asssumia o domínio da Alemanha tentou como outros acariciar Hitler, supostamente dando a entender que apoiava o “führer”, na expressão vulgar, os líderes se comportaram como “lambe botas” do ditador, Rutherford visitou a Alemanha naquele período e saiu correndo apavorado deixando o seu povo juntamente com judeus, ciganos, comunistas, homossexuais e dissidentes políticos nas mãos do führer alucinado, os seguidores foram lançados nos campos de concentração juntos com outros que Hitler odiava.

A revista acusa a Igreja de se associar com o mundo, isto é, com o governo, e acusa a Igreja de ser a Besta ou a Babilônia, essa acusação não é dirigida apenas à Igreja Católica, mas a todas Igrejas inclusive, batistas, menonitas, só escapa a Religião deles, ou seja, só fica de fora da Babilôncia a Torre de Vigia, com seus seguidores, os Testemunhas de Jeová”. Mas eles continuaram a distribuir suas literaturas na Alemanha, não pararam de falar da sua fé, isso é positivo, o que prejudica é que não crêem na divindade de Cristo, portanto anunciam o Reino de Jeová, em detrimento do Reino de Cristo.

* TRÍADES DE DEUSES 

Essa é a questão mais grave, eles acusam as igrejas, inclusive os protestantes em geral, de ensinar que existe outros deuses, isto é, que a Trindade é um ensino falso. Essa polêmica vem desde Ário um presbítero de Alexandria ele ensinava que Jesus tinha um corpo humano e uma alma não-humana, o Logos que habitou Moisés e outros no Antigo Testamento ocupava o lugar da alma humana em Jesus. Assim Jesus não era Deus, mas também não era homem, já que não tinha uma alma humana. A doutrina de Ário visava defender a Igreja do politeísmo, também sustentava que Deus não podia ser criador do universo material. Isso era agnosticismo que ensinava que a matéria fora criada por um demiurgo. O arianismo é o movimento que inspirrou Russel para ele A Trindade foi uma ideia de Satanás, que é um mito da antiga Babilônia. Os testemunhas não respeitam os textos bíblicos que falam da Trindade, vou citar alguns: João 1.1, “e o verbo era Deus”, eles traduziram como, “E o verbo era um deus”, querendo dizer com isso que Jesus é Deus, mas não é Todo Podereoso. João 5.19 (BLH) “Tudo o que o Pai faz o Filho também faz”; João 5.21 ” Pois, assim como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá vida, assim também o Filho dá vida a quem ele quer” . A questão da encarnação podemos verificar no texto de João 1,14 (BLH) “A Palavra se tornou um ser humano”.

Como a Revista fala que a Trindade é uma ideia de Satanás, vou deixar outros textos sobre o Espírito Santo que eles afirmam ser apenas um energia. Verifique na sua Bíblia os textos que indicam que o Espírito Santo tem atributos que provam ser Ele uma personalidade; veja por exemplo em 1 Co 2,10 (BLH) “O Espírito Santo investiga tudo, até mesmo os propósitos mais profundos e escondidos de Deus”. Na Carta de Paulo aos romanos demonstra que o Espirito Santo é uma pessoa, pois tem conhece e pede a favor dos Crentes (Rm 8.27). Podemos dispensar mais citações. Agora, de onde veio esse pensamento racional dos Testemunhas? Podemos responder que, Ário é o pai deles todos. Ário e do segundo século, foi presbítero em Alexandria e dizia para todos em forma de insulto: “houve um tempo em que ele não era”

No meado do século IV surgiu uma crise muito séria na Igreja de Alexandria terra de Ário, ele era presbítero de uma paróquia e baseado no provérbios “O Deus Eterno me criou antes de tudo, antes das suas obras mais antigas”. Mas o texto fala da sabedoria, no Novo Testamento ele citava João

14,28, (BLH) “…O Pai é maior do que eu”. Esses são os dois textos mais usados até hoje pelos filhos de Ário. Vamos lá: O texto de provérbios fala de uma parábola, melhor dizendo de uma alegoria para descrever a excelência da sabedoria, e que o seu surgimento é incerto ninguém pode determinar quando começa a Sabedoria. A Septuaginta traduziu: “O Senhor me criou” e os arianos abusaram desse texto. O texto usa o verbo hebraico “qãnãh” que foi traduzido numa forma imperfeita e prenominal como “qanani”, quando o seu sentido original é “qãnãh” gerar, esta é a tradução correta, que vem repetida em Hebreus (1,5 KJV) “Tu és meu Filho, Eu hoje te gerei”.

Uma pesquisa feita pelo douto F.C. Barney, afirma que o vebo hebraico “qãnãh” que os tradutores colocaram na forma prenominal não está correta, e que a tradução correta é traduzir por “gerar”, que é coisa bem diferente de “criar”. Essa palavra “qãnãh”, provavelmente vem do ugarito de onde provém a linguagem escrita, a raiz “qny” deve ser traduzida por “gerar”. A escrita dos fenícios foi comentada por Heródoto que viveu entre 484 e 425 a.C, foi transmitida aos povos do Mediterrâneo.

O alfabeto fenício era composto apenas de consonate, assim é o hebraico e o árabe. Então a tradução dos 70 sábios tropeçou na palavra “qãnãh” traduzindo como “criar”, quando o correto é “gerar”. Algumas traduções coloca o versículo assim: “O Senhor me possuia como fundamento do seu Caminho, antes mesmo do princípio das suas obras mais antigas” (KJV). “L´Eternel m´a possédée dès le commencement de ses voies” (La Sainte Bible) isto é, “O Senhor me possuiu no princípio de seus Caminhos”. Possuir passa a ideia de “gerar” que é o correto.

O editor da Revista em questão termina o seu texto dizendo: “Saiam dela”!, isto é, abandonem as Igrejas e venham para o Salão do Reino das Testemunhas de Jeová, que no fundo, no final da questão é uma Igreja, só não tem o formato, mas é um prédio de culto como todos os outros, só que, de muito mau gosto. Os seguidores da Torre de Vigia afirmam que aqueles que estão nas igrejas fazem uma falsa adoração e que serão destruido, que a Babilônia, a Grande será destruída, e todos devem fugir dela para adorar em espirito e em verdade no Templo dos Testemunhas de Jeová. Muitos convencidos da sua crença.

A Teologia dos testemunhas não é muito diferente da teologia dos muçulmanos que afirma ser Jesus um escravo de Alá, que não é Deus e apenas um ser humano comum adotado como filho de Deus.

Agora, você precisa saber como foi que ficou decidido sobre a divindade de Cristo. Como já dissemos os Testemunhas de Jeová são filhos de Ário que afirmava categoricamente: “houve um tempo em que o Logos não existia”, então dessa afirmação ele acrescentava todo o seu ensinamento para dizer que, Jesus não era eterno, mas sim uma criatura humana, com corpo humano e uma alma não-humana, ou seja nele habitava o Logos que habitou em Moisés e noutros líderes do passado. Assim Jesus não passa de um profeta, é o ensino dos muçulmanos e dos testemunhas de Jeová.

Por isso Constantino que na verdade tinha interesse político, ordenou que se resolvesse essa questão, o imperador não queria um império dividido nem mesmo teologicamente.

Assim foi convocado o Concílio de Nicéia no ano 325, onde ficou resolvida essa questão, o Credo diz assim: “Cremos em um só Deus, Pai todo-poderoso, criador de todas as coisas, visiveis e invisíveis, e num só Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, único gerado do Pai, Deus de Deus, luz de luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não criado, consubstancial (homoousios) ao Pai, por quem tudo foi feito, o que está no Céu e o que está na Terra, que, para nós, os homens, e para a nossa salvação, desceu, se encarnou, se fez homem, sofreu, ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos Céus e

virá julgar os vivos e os mortos e no Espírito Santo”. E como era costume naqueles tempos, não faltou uma ameaça, aqui está ela:

“No que se refere àqueles que dizem “houve um tempo em que ele não existia, antes de nascer, ele não existia, que ele foi criado do nada, ou que declaram que o Filho de Deus possui outra substância (hypostasis) ou outra essência (ousia), ou que é criado ou submetido à mudança ou à alteração, a Igreja Católica e Apostólica os anatematiza”. Isto é, amaldiçoa.

Fiou feio para Ário que tratou de fugir. Depois no ano de 381 no Concílio de Constantinopla foi declarado pelo Bispo Basilo Magno que o Espírito Santo é consusbancial ao Pai.

Essa questão da divindade de Cristo é reconhecida na adoração dos cristãos a partir do primeiro século, “Eles cantam louvores a Cristo como se fosse a Deus”, escreveu um historiador romano. Os cristãos já adoravam Jesus não foi o Concílio de Nicéia que ordenou essa adoração, o Concílio apenas reconheceu um fato.

Tertuliano deu a resposta mais contudente para todo o Ocidente: “Existe uma natgureza divina, O Pai o Filho tem essa natureza em comum”; isso foi dito em 325 em Nicéia depois em 381 no Concílio de Constatinopla. Assim Tertuliano relacionou o Espírito Santo com o Pai e o Filho. Três pessoas divinas que existem em uma natureza divina. Assim Tertuliano projetou as bases principais para a doutrina cristã da Trindade.

* OUTRAS QUESTÕES 

O Segundo Advento é uma questão problemática para os Testemunhas de Jeová, Russel o fundador predisse que Cristo viria em em 1914, depois adiou para 1918, Rutherford refez os cálculos e marcou para 1925 dizendo: “Podemos esperar, em 1925 seremos testemunahs da volta de Abraão, Isaque e Jacó e de outros crentes do Antigo Testamento”, entusiasmado com a ideia ele mandou construir a “Casa dos Príncipes”, em San Diego Califórnia, futura mansão dos patriarcas, enquanto Abraão não chegava, ele morou lá com esposa e filhos. E como eles podem criticar a riqueza alheia se eles até construiram uma “Casa dos Prinípes”?.

Depois de 1926 ele inventou a desculpa: “Tudo se cumpre e atesta que o Senhor Jesus está presente e seu reino vem chegando, a ressurreição dos mortos começará em breve”. Foi na gestão de Rutherfor que foi incorporado o nome, “Testemunha de Jeová”. Rutherford era muito estudioso, ele e seu assistente ganharam 46 causas em Supremos Tribunais Estaduais e também no Canadá até 1950. Isso contribuiu para a liberdade religiosa. Mas em matéria de profecia eles vivem empurrando com a barriga, não se cumpre eles passam para a frente. E ainda por cima são birrentos em relação a Jesus.

Eles afirmam que o Caminho é o Corpo Governante com sua organização, mas o Evangelho diz que é Jesus o Caminho, aliás o Único Camimho, Mas ue eles não aceitam Jesus como divino. Eles não conseguem se firmar no que diz, “Jesus deve ser adorado” conforme o livro: “Certificai-vos de Todas as Coisas”, edição de 1960 p 104, criaram um problema para os testemunhas que viveram até essa data sem adorar Jesus. Depois eles proibem a adoração dizendo>: “Nenhuma distinta adoração deve ser dada a Jesus Cristo”, isso você pode conferir na Revista Sentinela de 01.01. 1953. p. 31.

Os testemunhas consideram todos os outros como infíéis do mesmo modo que o radicais islâmicos, para eles os outros são equiparados a uma prostitutas extravagantes chamada de Babilônia. Mas, é claro, não fazem atentados nem pretendem ser homens-bombas. Mas tentam expalhar o ódio religioso. Em um comentário de Ezequiel, 24,25,26 eles falam que toda a cristandade seria destruida, que todas as repúblicas seriam dstruidas em 1920, pg. 258, quer dizer gostam de profetizar mentiras. Isso consta no seu livro “The Finished Mystery” (Mistério Consumado) é um livro escreito em 1917, esse livro foi distribuido a quase todos os membros da Grande Religião Torre de Vigia.

Adotaram uma estratégia interessante, estão distribuindo revistas nas praças das grandes cidades. Essa consegui aqui mesmo perto de casa na Praça XV de Novembro, o título da capa como já comentei é: “DESPERTAI ! A RELIGIÃO TEM FUTURO?”.

Tem sim amigos russelistas!, as portas do inferno não prevalecerão Melhor procurar rever seus estudos, especialmente sobre Jesus, se ele é só humano é como disse Tertuliano, não poderá salvar o gênero humano, só um Messias humano e divino poderá salvar o gênero humano.

Assim a Religião da Torre de Vigia não vigia o que diz, e você não pode andar em terreno minado. Melhor seguir o conselho deles, “Saiam dela”!.

Publicar uma resposta