Menu páginas
TwitterRssFacebook
Menu Categorias

Publicado por em jan 7, 2014 em Bispo Inaldo Barreto, Blog, Notícias | Alguém comentou

A OFERTA, O SANTUÁRIO E O ALTAR

A OFERTA, O SANTUÁRIO E O ALTAR

Santuário e Altar entre o povo judeu é tomado como uma unidade,  o espaço  sagrado. Mizbeah מזבח é o altar, lugar de sacrifício. Usado 401 vezes no Antigo Testamento. Aparece  com muita frequência no Pentateuco e nos livros históricos.

“Josué então edificou um altar a Iahweh, Deus de Israel, sobre o monte Ebal, como Moisés, servo de Iahweh, havia ordenado aos filhos de Israel, segundo o que está escrito na Lei de Moisés: um altar de pedra brutas não trabalhadas pelo ferro. E nele ofereceram  holocausto a Iahweh, e imolaram vitimas de comunhão” (Josué 8.31- BJ). Também havia altares de, terra, madeira e bronze e de ouro. Algumas vezes os altares recebem um nome especial: “El, o Deus de Israel” (Gn 33.20), “O Senhor é minha bandeira”, o altar de Gideão, “Gideão ergueu alí um altar ao Senhor, e o chamou: Iahweh é Paz.” (Jz 6.24).

O termo hebraico para altar é: מזבח Mizbeah, tem origem no verbo, conceder, presentear, dotar, (Zãbad), também significa, sacrificar  e abater, צבח (zãbah).

O que se percebe na raiz do verbo e nos seus derivados é o sentido, do “espaço sagrado”, e também o “espírito de gratidão” de quem doa, o sacrifício pessoal de quem oferece, mas também uma expressão de monoteísmo e  fé, e símbolo de vitória, “El, o Deus de Israel”,  e “O Senhor é minha bandeira”. Tudo isso sobre o Altar.

I – Uma discussão sobre a oferta  o Santuário e o Altar.(Mateus 23: 16-22)

Vamos estudar um texto  para fazer uma avaliação lógica depois das considerações inciais, sem dispensar outras considerações que serão apresentadas.
A questão surge quando os fariseus deram mais importância ao valor da oferta do que a oferta em si e o lugar onde ela estava colocada.
Eles estavam tão desigrejados que ensinavam; “Quem jurar pelo santuário, isso é nada, mas, se alguém jurar pelo ouro do santuário, fica obrigado pelo que jurou”. Jesus os chamou de, “guias cegos”. Guia cego é muito conhecido no Novo Testamento, principalmente naquele caso: do guia, do cego e do barranco.

No texto quem é focado é o conhecido, “fariseu hipócrita”, esse religioso era fissurado no ouro e na prata. Visava arrecadar sem nenhum critério de santificação. Por isso dizia; “Se alguém jurar pelo ouro do santuário, fica obrigado pelo que jurou”. É a mesma conclusão religiosa tão em voga em nossos dias. Com alguma modificação já se ouviu falar, “se você doar uma certa importância referente ao seu aluguel, então, receberá uma casa quitada”, coisas assim desvirtua a religião. Muitos hoje são levados como ovelhas ao matadouro, da mesma forma que naquele tempo eram levados pelo desejo ardente de acumular riquezas. Essa heresia tanto pode dominar o pastor como os membros da própria igreja.

II – Quem é o maior?

Jesus levantou uma questão relevante: – “Qual é o maior:  O ouro ou o santuário que santifica o ouro?
As ofertas sempre são entregues no Altar, é o que se espera. Claro que muitos hoje não acreditam mais no dízimo e fogem do assunto, dizendo que é coisa do Antigo Testamento. Mas o ouro ou seja lá o que for que doavam no tempo de Jesus, incluía dízimos que era uma tradição dos judeus e outras ofertas, também tradicionais.

Ofertas que são entregues fora do altar não estão consagradas. Esses depósitos em conta de missões sem passar pelo Altar não são ofertas  consagradas. Imaginem se, cada um fizesse isso por sua conta no tempo de Jesus, ou no tempo de Moisés, o culto ficaria inviabilizado. Seria como no tempo do cativeiro. Nenhum culto, nenhuma adoração, nenhuma oferta, só solidão e tristeza, e saudade. Do que? Exatamente do Hêkal, o Santuário.
Hoje em dia, tem aquele que sonega o dízimo, ou diminui o dízimo por conta da oferta que faz no particular, para aparecer como doadores, são conhecidos como, desigrejados. Mas essas ofertas não são santificadas no Mizbeah מזבח, o Altar.

Dois espaços sagrados, o santuário  e o altar. Já falamos sobre a palavra hebraica para altar. Agora vejamos: Quando  se pensa na Nave, no Templo, palácio, fortaleza, cidadela, o vocábulo sagrado é: היכל Hêkal. Foi usado para a  casa de Deus quando ainda era uma tenda. (1 Samuel 1.9). O salão principal do Tempo era também chamado, Hêkal, era o lugar onde Samuel dormia,  (1 Sm 3.3).

Os fariseus apelavam para o valor que estava ao alcance das mãos. “Quem jurar pelo santuário isso  é nada”, e “quem jurar pelo altar isso é nada”. Mas o ouro, esse sim tinha grande valor.

Jesus exortando a esse respeito disse: Cegos!  Pois qual é maior: a oferta ou o altar que santifica a oferta?

II-A importância do Culto

Quando alguém quiser ofertar para missões ou entregar o seu dízimos e ofertas, deverá fazê-lo mediante um culto público onde existe a comunhão fraternal e a vida da Igreja. Dízimos e ofertas fazem parte do culto. E no momento da entrega  é  um ato de adoração ao Senhor e não particularmente com uma atitude isolada e às vezes até, como uma contestação à Igreja local.

O Santuário, o Templo de hoje, e o Altar é um espaço  sagrado único. É o lugar  para adoração e inclui as doações.

Não se entrega na tesouraria uma oferta para missões ou para qualquer finalidade, mas no Culto, considerando o Templo e o Altar que santifica a Oferta seja ela destinada ao que for. Fora disso é culto individual sem a socialização do sagrado, que muitas vezes  se conduz pelo orgulho e pela pouca confiança que o membro deposita na liderança da sua igreja.

Conclusão

Na modernidade são muitos os que praticam o culto isolado, afastados, desligados. Alguns sob os mais variados pretextos abandonaram suas congregações e passaram a fazer suas doações particularmente. Mas nunca terão suas ofertas consagradas longe do Santuário e do Altar. O que fazem é, como se fosse uma paganização do sagrado.

I.F.Barreto
Bispo Primaz IMR

Alguém comentou

  1. Muito bom! Minha sugestão é: escreva um artigo sobre dizimos e ofertas. Ouvimos de varias fontes que o dízimo é bíblico para nós hoje e outros dizem que não é. Qual a postura da igreja metodista renovada?

    Fico ansioso esperando o artigo . abraços!!!

Publicar uma resposta