Menu páginas
TwitterRssFacebook
Menu Categorias

Publicado por em jun 9, 2016 em Bispo Inaldo Barreto, Blog, Notícias, Sem categoria | Ninguém comentou

A IDEIA DE KAR MARX SEGUNDO PAULO FRANCIS

A IDEIA DE KAR MARX SEGUNDO PAULO FRANCIS

“O capitalismo acumula capital à custa desse sofrimento. OK, mas, se pensam que Marx desaprova, estão muito enganados. A indignação moral do primeiro volume de O capital é seguida, no segundo, por um fatalismo em que as coisas não podiam ter ocorrido de outro modo. Acha que essas “optimum”, e que, só quando estiver cartelizado ao extremo e sua taxa de lucros começar a cair, uma classe operária consciente de seus direitos e militante politicamente tomará o poder fazendo a revolução socialista, que, numa primeira etapa, expropriará a propriedade privada”

O que não deu certo no Brasil? Tudo indica que os supostos revolucionários não pensaram no povo, mas apenas em si mesmos, pensaram numa forma de enriquecimento rápido, e o caminho escolhido foi o da propina. Em tudo o que fizeram aparelharam, roubaram, dizimaram; não em nome não do povo, mas do partido.

A ideia dos “comunistas” ou “socialistas” no Brasil como quiserem ser chamados na prática revela um só pensamento político, “nós” do outro lado “eles”, fizeram e propagaram isso com o máximo esforço, não deu certo.

A disputa insidiosa dentro do próprio partido, a religiosidade dos temas, a vinculação ao sagrado degenerou em profunda concupiscência da carne. Essa religiosidade foi mais forte na Venezuela assim tambem o caos da religião adotada por Maduro, houve quem criasse por lá o “pai nosso do comunismo”, que, começava com a frase apostáta: “Chaves que estás nos céus”.

Alias existe na Colombia para ser mais exato em Medelin um adoração aos traficantes que para uma parcela do povo pobre eram santos porque, ajudavam aos pobres. Essa prática aliás não é estranha para nós; nos covis dos salteadores sempre houve quem procurasse proteger o povo do bairro para tentar passar de santo, assim faziam para ter a proteção desse mesmo povo que era enganado.

O que aconteceu com uma parcela do povo na Venezuela? O que disse Charles Dickens no seu livro: Oliver Twist: “os cães não são treinados para se vingarem dos ferimentos recebidos em a si mesmos, mas para defenderem seus mestres”.

No ano de 1935 na França foi orga nizada a frente popular, mas eles não se entendiam, as ideis eram tantas que nada se ajustava a senso comum. O fim doi dramático “tanto seus sucessos quanto fracassos contribuiram diretamente não so para a sua própria queda um ano depois, mas para a frustração, a raiva e, no fim, a vingança da direita”. Em 1939 quando a guerra inrrompeu a Frente Popular estava em fragalhos”.

Os ensinamentros de Marx exigia um alto grau de hipocrisia, no Brasil eles não conseguiram esperar, talvez acharam que não valia a pena esperar o “optimum” da economia, eles nem deixaram, avançaram no bolo e comeram quase tudo.

Outra falha gritante foi a péssima organização da militância, em pleno Século XX Lula incentivou a “foice e o martelo”, MST andando como cigano com podão nas mãos, pegou mal, foi uma ideia mesquinha, pequena, sem visão de futuro, enganosa, fora do tempo.

Outra ignorância foi se aliar com ditadores, o povo não viu com bons olhos as fotos ao lado de Kadafe, Fidel Castro, e outros ditadores assassinos. Além disso pegou o dinheiro do povo e jogou no colo dos ditadores, investiu dinheiro do BNDES em Cuba, Venezuela, Bolívia, como se fosse possível distribuir dinheiro sem nenhuma consequência para o Brasil.

Mas, e se Lula tivesse esperdo? Teria ele conseguido implantar o “comunismo”? Acho que não, porque o Exército não tolera essa ideia, o povo na sua maioria não tem simpatia por Fidel Castro, alguns estudantes apenas enquanto estudantes aprovam a ideia e vão para as ruas gritar “Civa Che Guevara”, depois, quando se formam e viram políticos esquecem tudo.

Agora está um fragalho o partido, não vai acabar nem deve, mas vai ser difícil se levantar tendo por alicerce um poço de lama, temos que procurar novos caminhos o traçado por Lula se foi juntamente com ele.

A Rússia para se livrar das amarras comunistas que impediam o avanço econômico criou a “Perestroika”, uma reestruturação político-economica a partir da ascensão de Mikhail Gorbachev à secretaria Geral do Partido Comunista soviético. Em Junho de 1987, o Soviete Supremo (O Parlamento Soviético) fez uma análise da situação econômica do país e verificou que:

1).Cerca de 13% das empresas apresentavam déficit somando mais de 60 bilhões de dólares;

2) A produção nacional caiu de 7,1% no quinquênio 1966/70, para 3,8% em 1982 caiu para 3,2%

3) A agricultura perdeu o estímulo e já não atendia a demanda,

4) A produtividade do trabalhador soviético chegara a ser 50% inferior à do trabalhador americano

5) A Balança comercial era deficitária,

6) A ausência no trabalho assim como o alcoolismo era alarmente, e a Academia de Ciência calculou que, 15% dos soviéticos eram alcoóltras o que significava na época 40 milhões de pessoas.

Um fracasso retumbante. Não queremos isso para o Brasil.

Ainda bem, que Dilma se foi com suas ideais comunistas é bom que não volte nunca mais, que siga para algum país comunista que a queira como conselheira econômica.

Uma dúvida ficou no ar, para quem leu o Capital de Kar Marx sabendo que o comunismo só é possível em países que sairam do subdesenvolvimento, fica a dúvida: Será que Lula achava que já estávamos no patamar dos países desenvolvidos? Ele deve ter se enganado com a questão do consumo, o povo comprou muito no governo dele, mas foi tudo a prazo, isto significa que é um povo pobre, que deve muito.

Qual foi o medo do Lula? Se ele queria expropriar a propriedade particular, tornando-a pública, ou seja do povo, mas não do povo de uma forma positiva, do povo no sentido abstrato abstraido da política, do discurso, “O petróleo é nosso”, mas nunca foi nosso, sempre dos políticos. Será que ele tentou, pensou, imaginou na propriedade coletiva de todos os bens?

Assim ficou a dúvida que talvez nunca seja dirimida, o rastro de suas atividades no porão político não deixa transparecer um pensamento sequer a favor do povo, todas as pegadas indicam a busca de enriquecimento, propina para todos os lados. Então, aquele pensamento político “para o povo”, nunca existiu, foi uma tentativa comunista de se apropriar dos bens para um grupo encastelado no poder.

Resta a esperança , o povo brasileiro é um povo esperançoso, vamos voltar a crescer, vamos recriar empregos, vamos permitir as empresas se tornarem grandes, fortes, produtivas. Vamos proteger o que é nosso, e vamos procuar juntos a prosperidade do Brasil e do seu povo.

As pessoas trabalham sim por dinheiro, mas é muito mais importante o sentido que procuram para suas vidas. O trabalhador quer se sentir valorizado, quer um voto de confiança. Agora é o momento de algo novo. Crise é na linguagem da China uma oportunidade.

Se houver liderança e haverá de qualquer forma, o povo não deixará de atender ao apelo de um líder franco, sincero e que procure a competência, se metas forem estabelecidas, se um horizonte despontar o Brasil sairá da crise tão rápido quanto possível, temos uma vantagem, nossa Economia é diversificada, melhor do que a Russia e tão boa como a encomia dos Estados Unidos.

O governo ainda não fez suas previsões econômicas de Curto Prazo, a bagunça não permite, mas será feito em breve. A Longo Prazo, será estimulado o potencial econômico das empresas. falta liderança, falta um Congresso respeitável, falta um Senado da República, falta o verdadeiro representante do povo.

Finalizando, ninguém fique deprimido achando que os políticos são reflexos do que somos, o povo brasileiro é trabalhador, confiante, e grande pagador de impostos, só falta os governate imitar o seu povo. Aguardemos com esperança.

Abraços

Ifb.

Publicar uma resposta